Projeto de Restauro e Adaptação

Do Monumento Nacional Ruínas Engenho São Jorge dos Erasmos

Projeto de Restauro e Adaptação

O Conselho Deliberativo do Monumento Nacional, sua equipe gestora e o setor educativo vêm, nos últimos cinco anos, aprofundando as discussões acerca das novas demandas e necessidades de proteção do espaço, bem como sobre sua utilização mais consciente. Fruto desta discussão é o projeto de valorização patrimonial que viabilizará maior visitação ao bem. A preservação do sítio arqueológico e a ampliação do programa de visitas serão potencializadas pela construção de uma torre de observação e passarelas de acessibilidade. A torre será interligada por passarelas que se integram ao sítio e se conectam umas às outras, permitindo a ligação com a Base de Cultura e Extensão Universitária, já existente. A torre mirante, de 16,25 m de altura, com área total de 546m², possui quatro pavimentos e passarelas que objetivam interferir o mínimo possível na paisagem do Bem tombado. O projeto ainda possui dois outros subprojetos: para além dessa construção, será realizado o mapeamento de espaços com potencial arqueológico/histórico/turístico na Baixada Santista para posterior composição de roteiros histórico/turísticos e a realização de uma série gratuita de espetáculos de luz e som (com tecnologia de videomapping) nas ruínas. Financiado pelo BNDES, este projeto tem previsão de conclusão para o primeiro semestre de 2017.




O conjunto de torre e passarelas tornará o espaço do Monumento Nacional acessível sem danificá-lo, possibilitando, simultaneamente, a retomada das pesquisas arqueológicas e o maior acesso do público sem o pisoteamento do sítio.

O espetáculo de luz e som, a exemplo do que ocorre em outros monumentos históricos no mundo, utilizará tecnologia pouco utilizada no país, e está inserido no âmbito de um programa cultural e educativo voltado ao público, atendendo aos objetivos estratégicos do BNDES, não só de fortalecimento da economia, mas também da cultura e do desenvolvimento de conteúdos e plataformas digitais envolvendo patrimônio histórico.
Quanto ao mapeamento dos sítios históricos e arqueológicos da Baixada Santista, o projeto visa suprir estudos detalhados sobre numerosos sítios arqueológicos semelhantes ao das Ruínas dos Erasmos que estão localizados na Região. O trabalho abrangerá o diagnóstico das áreas de interesse, levantamento de documentação referente aos bens selecionados, estudo das condições de cada bem, elaboração preliminar de roteiros de visitas, produção de materiais de apoio e divulgação e educação patrimonial. O mapeamento e as pesquisas históricas desses sítios constituirão passos importantes para fundamentar pedidos de tombamento federal.